Home / Cidadania / Luzia Aprígio apoia 16 dias de Ativismo contra violência da Mulher

Luzia Aprígio apoia 16 dias de Ativismo contra violência da Mulher

Com palestra, Exposição de Artes e o Coral de Música Amor e Som, evento em prol da luta contra a Violência da Mulher mobilizou, conscientizou e sensibilizou homens e mulheres presentes. – Foto: Ian Fagundes

Na noite de quarta-feira, 29/11, o Taboão Plaza Outlet, recebeu o evento em prol aos 16 dias de ativismo contra a violência da Mulher. A realização foi da Comissão da Mulher Advogada da OAB de Taboão da Serra com o apoio de Luzia Aprígio.

O Coral Amor e Som, comandado pela maestrina Lídia Ikuta abriu e abrilhantou o evento. Mães, avós, advogadas, psicólogas, professoras, enfim, mulheres dedicam trabalho voluntário de levar mensagem de paz e basta de violência contra mulheres através da música.

Luzia Aprígio em sua fala ressaltou a importância de dar mais apoio às mulheres, que sofrem violência e são obrigadas a voltar para suas casas sujeitas a sofrer mais agressões. “Quando fui vereadora várias mulheres me procuravam falando que foram fazer a ocorrência na delegacia, mas que elas tinham que voltar para casa e ficavam com muito medo de sofrer novamente violência. Eu mesmo fui vítima de violência na Câmara Municipal de Taboão da Serra e não recebi nenhum apoio. A violência precisa ser combatida por todos nós, todos os dias”, ressaltou.

Celina Aparecida, gerente do Centro de Defesa e Convivência da Mulher do CREAS do Campo Limpo, trouxe uma exposição com 16 imagens que representavam o olhar da mulher sobre a violência e presentou os presentes com o poema de Patativa do Assaré “Sou cabra da peste”.

Representando a OAB de Taboão da Serra, Dra. Severina dos Reis parabenizou as organizadoras do evento pela ação de mobilização e colocou a estrutura da OAB a disposição de todas as mulheres que precisarem.

A dra. Maria Amélia Alencar, presidente da Comissão da Mulher Advogada, que atuou por quase oito anos na Coordenadoria da Mulher de Taboão da Serra, fez uma palestra impactante. Trazendo a história da criação da Lei Marinha da Penha, dos 16 dias de ativismo e citações de eventos do dia a dia que caracterizam ações de violência, além de apresentar dados alarmantes do mapa da violência no Brasil que a cada uma hora e meia uma mulher é espancadas. “A violência contra a mulher é um problema meu, seu e nosso. Nosso objetivo é sensibilizar a sociedade e cobrar políticas públicas efetivas de enfrentamento a violência. Vamos combater a violência contra a mulher”, pediu aos presentes no fim da palestra.

Dra. Marina Carreira, delegada aposentada que atuou por 23 anos em São Paulo contrapôs a visão de ressocialização e afirmou que é preciso tratar a agressão como um delito, que é caso de reclusão e também ressaltou que as mulheres que educam os homens. “A mulher não tem que ficar reclusa numa casa, agressão é crime, o homem que tem que ser mandado para uma casa, para um hospital psiquiátrico se tratar. Nós mulheres temos que mudar, dentro da nossa casa. O grande amor da vida da gente somos nós mesmas!”, alertou.

O evento foi finalizado com o Coral Amor e Som que convidou Luzia Aprígio para participar das apresentações das canções.

About Redação

Com 13 anos, o Jornal Hoje em notícias faz parte da história do Conisud, Região Metropolitana de São Paulo.
o Jornal é do povo e não cobra assinatura.
Não é preciso pagar para se informar. Um jornal forte, para um leitor forte!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*