Home / Destaque ! / EMTU multa empresas de ônibus que circulam sem cobrador

EMTU multa empresas de ônibus que circulam sem cobrador

Já é possível observar a ausência dos cobradores na maioria dos ônibus – Foto: FOTO: Mário de Freitas/Hoje

Há tempos que o governo do Estado de São Paulo estuda retirar os cobradores dos ônibus que circulam nas regiões metropolitanas da capital paulista e outras regiões. Os veículos da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) teriam apenas o sistema de bilhetagem eletrônica para cobrança das passagens.
A Resolução 68 da Secretaria dos Transportes Metropolitanos determinou a criação de um grupo de trabalho para analisar e atualizar o sistema de bilhetagem eletrônica. Mas até agora sem solução. Para o sindicato dos motoristas e cobradores, as empresas querem tirar o cobrador para aumentar os lucros. “A planilha de custos engloba no valor da tarifa a remuneração dos motoristas e cobradores. Os empresários querem cortar os cobradores para aumentar os lucros”, critica Ademir José da Silva, secretário-geral adjunto do Sindicato dos Rodoviários do Grande ABC para o jornal O Estado de S. Paulo.

Na segunda-feira, 30, a Rede Globo divulgou no seu telejornal da manhã, Bom Dia São Paulo, uma reportagem sobre o abuso das empresas que mantêm o sistema na região. A reportagem trouxe um cenário caótico, ônibus lotado e passageiros reclamando.
Usuários que dependem do transporte intermunicipal da EMTU na região de Embu das Artes, Taboão da Serra e Itapecerica da Serra estão insatisfeitos com a retirada de cobradores dos coletivos. Segundo relatos, pelo fato dos motoristas exercerem duas ou mais funções quase ao mesmo tempo, como dirigir, cobrar tarifa e auxiliar no embarque e desembarque de pessoas com deficiência (cadeirantes), a atenção pode ser prejudicada, além dos ônibus demorarem para passar nos pontos.

Já é possível observar a ausência dos cobradores na maioria dos ônibus, como nas linhas 193 – Embu das Artes (Jardim Santa Tereza) / São Paulo (Metrô Capão Redondo) e 343 – Embu das Artes (Jardim do Colégio)/ São Paulo (Metrô Campo Limpo), São Judas (Taboão da Serra)/São Paulo (metrô Campo Limpo.
O Hoje em notícias entrou em contato com as empresas que movimentam o Consórcio Intervias e elas responderam que atendem a EMTU.
Em nota, a EMTU disse que já multou as empresas e continuam ignorando. Segundo a nota, foram aplicados 1.288 multas só no primeiro semestre desse ano. A estatal disse que tomará medidas mais enérgicas.

 

Fervima e Pirajuçara adotam essa prática em Taboão da Serra

Os passageiros da linha Parque Laguna – Pinheiros (068), em Taboão da Serra, disseram que foram pegos de surpresa com ônibus sem cobrador e tem atrasado as viagens. A linha 029 (Jardim Monte Alegre – Pinheiros) também opera sem o cobrador.

Pelas redes sociais, moradores de Taboão haviam feito o alerta. “Já ficamos mais de uma hora no ponto esperando o ônibus. E agora vai demorar mais porque o motorista vai ter que conduzir e cobrar. […]Queria que ficassem no ponto ao voltar do trabalho para ver se aprovam o que estão fazendo. O ônibus vai lotado e não tem lugar nem para sentar”, reclamou Sandra Sampaio.

A reportagem do Hoje conversou com outros passageiros que reforçaram as críticas pelas retirada dos cobradores. “Ônibus sem cobradores, a gente já tinha visto nos Circulares da cidade, mas até no intermunicipal está acontecendo, os cobradores precisam trabalhar também”, diz Flávio Silva. (MF)

About Mário Freitas

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*